O Empreendedorismo é a salvação da nossa geração

Sejam todos muito vem vindos, é com imenso prazer que escrevo este artigo, diferentemente dos outros mais de 150 conteúdos que fiz aqui para o blog esse, sem sombra de dúvidas, é o que mais me deu entusiamos para iniciar, vamos falar sobre empreendedorismo e eu tenho centenas de coisas legais para te revelar acerca desse assunto.

O meu objetivo com este artigo é te apresentar todos os prós e contras de seguir uma carreira empreendedora, eu vou te contar passo a passo como eu saí de uma vida medíocre, de sobreviver para pagar as contas para uma vida boa, com carros de luxo, viagens internacionais e dinheiro na conta para fazer o que quiser.

Tudo isso em menos de 5 anos, sem ter feito nenhuma faculdade e muito menos ter nascido em família rica.

Para iniciarmos o conteúdo eu preciso que você entenda o que é o empreendedorismo.

O que é empreendedorismo?

Eu defino o empreendedorismo como um ambiente de transformação e impacto social, quem empreende é empreendedor e a função do empreendedor é exatamente essa: identificar problemas e criar soluções.

Ao contrário do que a maioria pensa o empreendedor não é uma pessoa que só visa o capital, ele usa o capital para gerar a transformação necessária. Nenhuma grande empresa no mundo foi criada com o objetivo único de gerar dinheiro, todas elas foram criadas com o objetivo de resolver um problema específico.

O Facebook é uma das maiores empresas do mundo e o objetivo maior do fundador é de conectar pessoas, evidentemente, quanto mais pessoas ele conectar mais ele vai ganhar dinheiro mas esse não é o core do negócio.

Por isso o empreendedorismo está ligado diretamente à inovação, os empreendedores, no geral, são pessoas inconformadas com padrões, pessoas que não aceitaram viver a realidade que lhes foram impostas e por isso buscam dentro do empreendedorismo maneiras de serem livres fazendo o que gostam e mudando o mundo do seu jeito.

Foi essa insatisfação positiva que criou personalidades conhecidas nas últimas gerações como: Bill Gates, Steve Jobs, Mark Zuckerberg, Elon Musk.

O lado obscuro do empreendedorismo

Por mais que eu seja fã do empreendedorismo, eu sinto-me na obrigação de te contar algumas coisas “ruins” do empreendedorismo antes de continuarmos com este artigo.

Minha relação com o empreendedorismo começou muito cedo, eu sempre fui a criança que nunca viu o banco imobiliário como um simples jogo de tabuleiro onde o objetivo principal era rolar dados. Eu via diferente, eu criava estratégias e não me conformava com as regras do jogo. Eu achava um absurdo não poder emprestar dinheiro a juros no jogo =)

Aos 10 anos eu tive meu “primeiro negócio” meu pai deu R$ 50,00 para mim e R$ 50,00 para o meu irmão, que é 2 anos mais novo que eu.

Peguei meus R$ 50,00, fui na casa de fogos e comprei tudo de bombinhas, cabeção de nego, lasers e estalinhos para vender em uma barraquinha que eu fiz de caixote de supermercado (Antigamente era comum ver essas barraquinhas em festas de são joão).

O meu negócio era sazonal e eu não sabia o que era isso, foi bem, mas as festas de são joão acabaram e eu tive que encontrar outra forma para ganhar dinheiro, que na época eu nem sabia o que era dinheiro, para mim era um hobby e eu me sentia realizado fazendo aquilo.

Iniciei então meu segundo empreendimento peguei parte do dinheiro que eu tinha ganhado na casa de bombinhas e comprei doces, usei o mesmo ponto estratégico, a frente da minha casa.

Chegava da escola por volta de 12:00 e armava minha barraquinha, ficava até umas 18:00 e ganhava alguns trocados vendendo os doces e balas.

Por que o título desse tópico é o lado obscuro do Empreendedorismo? Na época eu não sabia que isso que vou te contar agora me perseguira pelo resto da vida, não só a mim, mas a todos os empreendedores.

A maioria dos meus amigos da escola, inclusive eu, tinha vergonha de fazer o que eu fazia e eu não entendia o porquê disso.

Depois que eu fiquei adulto eu continuava a acreditar que era vergonhoso você vender algo, evidentemente, conforme você vai crescendo as proporções vão aumentando.

Vender balas quando é criança é “vergonhoso” mas quando você vira adulto se torna vergonhoso você abrir uma barraca de cachorro quente, um lava-jato, uma assistência técnica de smartphones.

Os “politicamente corretos” são contra qualquer tipo de atividade que fuja dos padrões impostos pela sociedade e isso faz com que muitos empreendedores desistam, ou nem comecem.

No começo eu não entendia bem isso e acreditava que eu realmente estava errado e que o certo era seguir o caminho de “sucesso”. Fazer uma faculdade, conseguir um emprego em uma grande empresa, trabalhar 40 anos para me aposentar e fechar a conta com o seguinte saldo: Ter vivido uma vida de merda, ter somado mais um número na estatística brasileira e pronto, resumidamente, ter cumprido meu papel social.

Foi aí que eu comecei a descobrir quem eram os verdadeiros inimigos.

Os inimigos do empreendedorismo

Eu consigo te provar por números e fatos que um empreendedor, mal sucedido, consegue ter mais tempo, liberdade e dinheiro do que a maioria dos profissionais “bem sucedidos” no Brasil.

De acordo com a Catho, a média salarial brasileira, bruta, é de R$ 2.340,00 se você é um funcionário e recebe esse salário bruto, na sua mão você vai ter cerca de R$ 1.900,00 mensais, considerando os descontos de INSS e IRRF.

Eu comecei a fazer as contas, minha família era uma família humilde e eu, como todo pobre, nascido em favela, pensei: “Nossa, uma casa no Recreio dos Bandeirantes (Onde eu sonhava em morar) custa R$ 1.000.000,00”. Como que eu vou conseguir 1 milhão de reais? Ou melhor, como vou conseguir 40 mil reais para comprar um carro? Se eu fosse acima da média eu teria que juntar praticamente 2 anos de salário, sem gastar nada, para conseguir comprar um carro?

Logo eu saquei que havia outro caminho e que alguém escondia essa informação da população, eu só não sabia quem.

Foi aí que eu descobri que nós somos controlados por algo que dificilmente as pessoas conseguem enxergar, o estado.

O estado tem uma participação fundamental para a não propagação do empreendedorismo, o empreendedorismo é exatamente contra tudo que o estado prega, o empreendedorismo te dá liberdade, te dá dinheiro e dinheiro é poder.

Não é do interesse das pessoas que controlam o estado que os cidadãos tenham poder, com poder você ganha voz e com voz você consegue atingir quem não pode ser atingido.

Esse é o motivo de você não ver leis incentivando o empreendedorismo, você não vê empreendedorismo nas escolas, você não vê empreendedorismo na televisão, eles não querem que você empreenda, essa é a real.

Se eu não tivesse seguido o caminho do empreendedorismo, eu jamais estaria aqui.

Com menos de 30 anos eu fiz coisas completamente inimagináveis para a minha realidade.

Hoje eu viajo o mundo, já visitei mais de 18 países, moro fora do Brasil e por mais hilário que seja eu morei de frente para a praia, no bairro que anos atrás eu acreditava ser impossível morar.

Comprei carros de luxo, enfim, fiz e faço tudo que qualquer jogador de futebol ou pagodeiro no nosso país faz quando ganha dinheiro.

Agora vamos às contas que eu te prometi mais acima, se você esquecer todos os padrões sociais de sucesso você vai encontrar um mar de oportunidades muito mais rentáveis e lucrativos em todos os âmbitos da sua vida.

Vamos começar fazendo umas contas pelo caminho tradicional, uma pessoa estuda no ensino básico até os 17 anos, normalmente começam com 7, são 10 anos de escola.

Depois dos 10 anos, iniciam uma faculdade que ficam por mais 5, em média.

Ao todo são 15 anos de estudos, você sai com 23 da faculdade, sem experiência em nada para disputar uma vaga no mercado de trabalho, para que ,se conseguir ter sucesso, ter um salário médio de R$ 5.110,00. (Média salarial divulgada pelo IBGE).

Eu não vou nem entrar no mérito de falar quanto um universitário gasta nos 5 anos de faculdade, além das mensalidades os custos com transporte, alimentação, livros, eventos, etc. Que passam fácil dos R$ 100.000,00.

Bruno, você está me dizendo que é burrice fazer faculdade? Não, estou te dizendo que se o seu objetivo for ganhar dinheiro para viver uma vida boa, a faculdade não é ruim, é péssima.

Por outro lado, vamos ao caminho dos “fracassados”.

Vou pegar um exemplo básico do básico do básico.

Você compra uma chapa de hamburguer usada, que custa em torno de R$ 100,00.

Considerando o Rio de Janeiro, que é uma das cidades mais caras do Brasil.

Com menos de R$ 200,00 você compra os ingredientes suficiente para fazer um dia de lanches, agora é só montar um cardápio e divulgar em grupos do WhatsAPP e Facebook.

Antes que você pense: Ahhh, Bruno, como vou entregar?

Uma das coisas que você vai ter que desenvolver como empreendedor é a habilidade de resolver problemas, olhar para situações com a visão de resolução e não de dificuldade.

Hoje em dia é a coisa mais fácil do mundo é você conseguir alguém para entregar alguma coisa, existem diversos aplicativos que fornecem esse tipo de serviço como: UberEats, Rappi.

Aqui na Europa, onde vivo atualmente, milhares de pessoas vivem de entregas a mentalidade do Europeu é diferente da do brasileiro, brasileiro é acostumado a encontrar desculpas para tudo e ter sempre alguém passando a mão na cabeça dando diversos benefícios através dos programas sociais como: Bolsa família, minha casa minha vida e por aí vai.

Quando eu morava no Rio, que é uma cidade cara, eu pagava em média R$ 16,00 em um lanche desses de iFood.

Faz as contas de quanto você gasta para montar um lanche simples, um hamburguer, pão, ovo, batata palha, ketchup, Maionese, bacon, presunto, queijo e salada.

Eu tenho certeza que você não gasta mais que R$ 8,00 para montar um lanche, tirando as bebidas que tem um lucro absurdo.

Vamos supor que você tenha um lucro de míseros R$ 4,00 em cada lanche (contabilizando os custos de entrega), vamos supor também que você trabalhe 25 dias por mês (1 dia de folga por semana).

10 Lanches = R$ 40,00 de lucro;
20 Lanches = R$ 80,00 de lucro;
30 Lanches = R$ 120,00 de lucro;

Se você vender, vamos colocar uma visão pessimista, 20 lanches por dia você terá um LUCRO líquido de R$ 80,00.

Agora R$ 80,00 multiplicado por 25, seus dias de trabalho, é R$ 2.000,00 mensais.

Com um bônus: Você pode vender mais, você pode ampliar.

Vamos fazer essa conta de novo com o dobro de lanches, que é um número completamente dentro da realidade, basta você ver quantas pessoas existem no seu bairro.

40 Lanches por dia em R$ 160,00 de lucro diário e ao final dos 25 dias você teria R$ 4.000,00 mensais, mais que a média salarial brasileira, trabalhando de casa com um investimento inicial de menos de R$ 300,00.

Por que a maioria não empreende?

Bruno, realmente, concordo com você, é realmente muito fácil ganhar dinheiro com empreendedorismo da forma que você colocou, mas se é tão bom assim, por que a maioria não empreende?

A resposta é muito simples, a vida é um jogo de marketing, a todo tempo você está comprando e vendendo alguma coisa, seja ideias, produtos ou serviços.

Neste artigo eu estou te vendendo, vendendo a ideia do empreendedorismo, estou usando argumentos, fatos e dados para te mostrar que empreender vale a pena.

Da mesma forma que eu faço isso a vida “normal” também é vendida para você, por que a maioria prefere o emprego formal? Estabilidade? Plano de carreira? Segurança? Benefícios? Tudo isso são estratégias de marketing para te fazer acreditar que você está “comprando um bom produto”.

O emprego formal não é estável, empresas podem falir, eu mesmo tive uma franquia da Microlins e depois de dois anos a empresa faliu deixando todos os 17 funcionários desempregados.

Você entrar em uma empresa não é garantia que seu salário vai aumentar com o tempo, existem vários casos de pessoas que trabalham 10-15 anos em uma empresa sem nenhuma promoção.

O emprego formal não te dá benefícios, você paga por eles, eu já tive 17 funcionários trabalhando juntos e sei bem disso, todos os benefícios dados são tirados do próprio funcionário: Como bonificações por metas cumpridas, comissões, etc.

E o pior é que o emprego formal começa a ser vendido para nós desde que somos crianças, na escola, ninguém na escola fala sobre vendas, empreendedorismo, marketing, inteligência emocional, gerenciamento de equipes, gestão de processos, liderança.

Eles falam sobre fórmulas complicadas de matemática, química, física, geografia, história. Que na maioria das vezes funcionam como uma distração para o que realmente interessa.

Como começar a empreender?

Depois de anos empreendendo e ensinando empreendedorismo eu cheguei a algumas conclusões, vou te dar o passo a passo que eu seguiria caso tivesse que iniciar novamente a minha carreira, com a cabeça que tenho hoje.

Eu já tive alguns negócios, de verdade não as barraquinhas de criança, tive uma lan house no boom das lan houses, tive uma lanchonete (por isso usei o exemplo lá em cima) e o maior dos negócios uma franquia de cursos profissionalizantes da Microlins, no qual tive que fazer um grande investimento para adquirir.

Hoje eu empreendedo 100% pela internet, é por esse motivo que eu viajo o mundo enquanto trabalho, consigo gerenciar todos os meus negócios de qualquer lugar, só com um computador, muitas das vezes pelo celular, e uma conexão com a internet (pode ser 4G).

O empreendedorismo digital é uma atividade relativamente nova no mercado brasileiro, se eu falei para você que o empreendedorismo tradicional é crucificado, imagine na internet? Quando eu comecei a me dedicar full-time aos meus negócios na internet todo mundo me chama de maluco, falava que eu tava viajando e quando eu mostrava a elas algum blog ou vídeo das poucas pessoas que tinham o estilo de vida que eu queria ter elas falavam: “Tu vai acreditar nessas coisas de internet? Hahahaha tu é muito trouxa” Pois bem, cá estou eu.

Eu me interessei por negócios na internet por três grandes motivos:

1 – A liberdade de espaço – Você pode fazer de qualquer lugar;
2 – A escalabilidade – O quanto você consegue crescer um negócio sem ter que aumentar a sua estrutura, falaremos disso mais para frente;
3 – A liberdade de tempo – Eu posso trabalhar quando quiser e a hora que quiser.

Dessa forma eu consigo ser realmente livre para fazer as coisas que gosto de onde eu quiser e caso eu precise ganhar mais, eu tenho como ganhar mais, eu tenho controle sobre o crescimento do meu negócio e isso é uma coisa que me atrai muito.

Antes de te ensinar o passo a passo sobre empreendedorismo digital, vamos voltar uma casa para entender o que é empreendedorismo digital

O que é empreendedorismo digital?

Eu particularmente não curto esse termo “empreendedorismo digital” mas é o que chamam e não usar ele, nesse começo que essa modalidade é muito nova, pode confundir ainda mais quem está entrando no mercado.

Eu acredito que o empreendedorismo é empreendedorismo, o fato de utilizar a internet para fazer as coisas acontecerem não quer dizer necessariamente que é um tipo de empreendedorismo diferente, você simplesmente está usando a internet para fazer.

O mundo hoje é digital qualquer empresa que não estiver na internet está fadada ao fracasso.

O ponto é que com o crescimento da internet muitas oportunidades de empreender surgiram, oportunidades que transcendem algumas barreiras que eram impeditivas para muitas pessoas iniciarem seus negócios alguns anos atrás.

Como na internet nós temos muitas ferramentas de automatização isso faz com que você possa ter uma escala absurda.

PS.: Escalar significa aumentar o faturamento sem aumentar os custos fixo.

Vou te dar um exemplo meu, quando eu tinha a escola, nós tínhamos 4 salas de aula e no sábado, que era o melhor dia, todas as salas ficavam ocupadas. Eu não conseguia matricular todo mundo por falta de espaço, para eu conseguir matricular mais pessoas eu teria que alugar uma nova sala, colocar novos computadores, ar condicionado, mesas, cadeiras e um novo professor.

Isso exigia um investimento alto, ou seja, não era um negócio escalável.

Hoje eu tenho vários negócios na internet e um deles é uma empresa que vende um serviço que é entregue digitalmente, eu tenho o meu produto e se eu vender para 100 pessoas eu vou ter o mesmo custo que teria para vender para 10 pessoas.

O meu custo não aumenta com a quantidade de vendas e isso é uma coisa que me atrai muito, por isso sou aficionado por negócios na internet, com a mesma estrutura que eu faturava R$ 30.000,00 por mês eu consigo faturar mais de R$ 100.000,00.

Então basicamente o empreendedorismo digital são negócios que vivem 100% da internet, não dependem de uma estrutura física, todo o processo é feito digitalmente: Criação do produto, venda e entrega.

Os primeiros passos no empreendedorismo digital

Vamos começar a entender quais são as formas de empreender na internet, eu poderia ficar até semana que vem falando sobre modelos de negócios na internet porque são milhares.

Mas eu vou te dar um “hack” para você entender.

A primeira coisa que você tem que entender é que a informação vale ouro na internet.

What?! Como assim, Bruno? Informação é o que mais tem na internet, não?

A resposta é: Não!

Existe uma falsa ilusão de informação na internet e isso ficou claro para mim em Londres, quando eu fui na British Library, a segunda maior biblioteca do mundo, com 150 milhões de exemplares.

Até esse dia eu acreditava que a internet tinha tudo e quando eu cheguei nessa biblioteca eu tive a certeza que realmente, a internet tem tudo.

Nessa biblioteca eu encontrei uma seção gigante, com livros gigantes (não de grossura mas de altura) fiquei impressionado com tudo que eu vi e comecei a pensar: De que adianta ter 150 milhões de exemplares aqui? Quem vai ler tudo isso?

E eu vi que nós vivemos um mundo de ilusão em relação a informação, nós temos sim, muita coisa na internet mas a internet é muito grande e tudo fica muito espalhado, por acreditarmos que temos acesso a tudo acabamos não tendo acesso a nada.

A internet é um local público, qualquer pessoa pode inserir conteúdo, sem veracidade, sem fontes, sem nada e isso pode ser um veneno para muitos.

O ponto que eu quero chegar é que a maioria das pessoas estão insanamente em busca de informação, informação de qualidade.

A nossa geração percebeu que a vida é curta e aprendeu a valorizar mais o tempo, esse é o motivo de muitos se adequarem ao minimalismo, nomadismo digital, a não comprar casa, a não ter carros e usar Uber, a nossa geração tem o foco na praticidade.

Aposto que você não quer trabalhar 50 anos da sua vida para comprar uma casa e deixar tudo aí quando morrer.

Esse é o motivo que eu faço o que eu faço, eu não tenho apego a nada, eu curto o momento, eu vivo a vida, eu sozinho conheci mais países que a minha família inteira (incluindo gerações passadas).

Eu curti rock n’roll em um bar local de Londres, fui pra festas com locais de Barcelona, Pratiquei Wakeboard com um amigo ucraniano na Ucrânia.

É isso que a nossa geração prioriza, a experiência e para isso você precisa de informação, por isso a informação é o bem mais valioso desse século.

Se você tem as informações corretas, você consegue fazer o que quiser como: viajar sem dinheiro, ganhar mais, economizar grana, investir melhor, montar um negócio sem investimento e diversas outras coisas que sem informação você levaria meses ou até anos para conseguir.

Se me tirassem tudo, todo o dinheiro do banco, todos os meus negócios, em 3 meses eu estaria aqui novamente, vivendo o mesmo estilo de vida.

Por que eu tenho a informação de como fazer isso e a informação que eu tenho vale muito mais do que todo capital ou patrimônio que eu tenho. Capital acaba, patrimônio se decompõe mas a informação continua aqui.

Então essa é a primeira lição que você deve entender para iniciar sua carreira no empreendedorismo: Informação vale milhões.

Ok, Bruno, entendi, mas e daí?

Como empreender na internet usando o conhecimento que você já tem

Como eu disse anteriormente, a informação vale milhões e quando eu falo milhões é no sentido literal.

Se você é bom em alguma coisa, ou quer ser, você consegue faturar milhões, deixa eu te explicar como isso funciona.

Eu tenho uma empresa que no começo era uma empresa de consultorias de SEO, SEO são técnicas de otimização de páginas para aparecerem no topo dos resultados do Google.

Basicamente eu consigo fazer uma página aparecer lá no Google quando alguém pesquisa e eu vendia esse serviço para outras empresas.

Cobrava a partir de R$ 4.000,00 “só” para dizer aos meus clientes o que eles deveriam e não deveriam fazer em seus sites, fazendo isso eu faturei mais de R$ 1.000.000,00 (1 milhão) em 10 meses.

Esse é o poder da informação na era digital, certamente essa empresa conseguiria todas essas informações na internet mas quanto tempo ela levaria para reunir todas as informações que eu já reuni nos mais de 10 anos que eu trabalho com SEO?

Guarde uma coisa na sua mente: “Quanto mais mastigado, mais fácil de engolir”. Esse é o mantra.

O seu conhecimento pode ser vendido na internet de diversas formas, em formato de: Livro eletrônico, vídeo aulas, mentorias, consultorias, áudio books, mentorias em grupo e aulas ao vivo.

E ao contrário do que muitos pensam você não precisa ser super, hiper, mega especialista para cobrar a alguém para que você ensine algo.

Eu quando era moleque ganhava uma grana formatando computadores, eu achava a coisa mais idiota do mundo, era só colocar um CD de instalação, apertar meia duzia de “avançar” e pronto, estava feita a mágica.

Mas eu tinha uma informação que a maioria não tinha e me aproveitava disso, talvez hoje exista pessoas que ainda pague por esse serviço, essa é a prova de que você não precisa ser o expert em nada, você só precisa saber resolver um problema específico.

Passo #01 para criar o seu negócio na internet

A primeira coisa que você precisa entender é que existem pessoas com interesses em determinados assuntos e essas pessoas têm dificuldades para sanar determinados problemas.

Neste momento que estou escrevendo este artigo existem pessoas que nunca viajaram para fora do país buscando no Google coisas como: “Como viajar para Portugal”.

Para ser mais específico, 590 pessoas buscam isso todos os meses.

Isso é uma oportunidade de negócio, imagine que você tenha esse conhecimento? Imagine que você já tenha viajado para Portugal? Ou você conhece todos os trâmites de viajar para Portugal?

O Google é seu maior aliado nesse processo, ele consegue te dizer absolutamente tudo que você precisa saber sobre o comportamento humano, sobre dores e desejos das pessoas, afinal, ele é o site mais acessado do mundo e qual é a função principal dele? Responder perguntas.

Ele foi feito só para isso, responder perguntas e a gente consegue tirar muitos insights positivos dele.

Comece a enxergar o Google como um psicologo que está ali para ajudar pessoas a conseguirem algo.

O primeiro passo é você identificar isso, pessoas que buscam soluções para determinados problemas.

No meu caso eu vi que muitas pessoas gostariam de aumentar as suas vendas na internet mas não sabiam como, eu provi uma solução colocando os sites delas no topo dos resultados de pesquisa do Google.

Com essa informação em mãos eu comecei a cobrar, simples não?

Passo #02 para criar o seu negócio na internet

Depois de ter identificado você precisa ter uma solução para vender a eles, não adianta nada você identificar e nada fazer.

Beleza, descobriu que existem pessoas querendo ir a Portugal e não sabem como? O que eu posso fazer para ajudar-los? Uma assessoria para tirar passaporte? Uma assessoria para comprar passagens? Um pacote de viagens completo, com passeios turísticos e tudo mais? Um aluguel de carros em Portugal? Uma reserva de hotel?

As possibilidades são infinitas, basta você ligar o seu radar para ficar atento a elas.

Você tem que ter uma solução que atendas as necessidades do público em todos os âmbitos, desde o financeiro ao social.

Passo #03 para criar o seu negócio na internet

Encontrar pessoas para comprar de você, por mais que a internet tenha 130 milhões de usuários no Brasil eles estão divididos em vários lugares na rede.

Uns estão no YouTube, outros no Facebook, outros no Google, outros no Instagram e entender o comportamento do seu potencial cliente na rede faz toda a diferença para você dar certo no empreendedorismo digital.

É necessário ser expert em tecnologias para empreender na internet?

Já foi, hoje é extremamente fácil empreender na internet no quesito domínio de ferramentas e tecnologia.

Como o mercado cresceu absurdamente, foram criadas várias ferramentas para pessoas que não são espertas com tecnologia.

Eu comecei a fazer sites moleque e era muito difícil criar um site, precisava ter um conhecimento absurdo de um monte de códigos e um monte de ferramentas difíceis, hoje, um blog como este, que você esta lendo, até minha filha de 5 anos consegue fazer.

Não é do interesse das empresas dificultarem o uso das ferramentas, seguindo o mesmo princípio: quem tem a informação é rei. As empresas sabem como simplificar e por isso fazem.

Hoje, mesmo que você seja leigo, você consegue manusear todas as ferramentas necessárias para fazer um negócio na internet rodar.

Até porque as maiores habilidades para ter sucesso no empreendedorismo não tem nada a ver com tecnologia e sim com pessoas, quanto mais você entender sobre pessoas, mais você será bem sucedido.

Considerações finais

Nós já estamos passando das 4 mil palavras aqui neste artigo, acredito que seja melhor terminarmos esse papo lá no Telegram, o que acha? Eu tenho um canal, gratuito, no Telegram que dou dicas de marketing e empreendedorismo. Já que você está conhecendo agora o mundo do empreendedorismo lá é seu lugar, você vai encontrar uma comunidade forte e unida, com o objetivo de ajudar uns aos outros.

Será um prazer ter a sua presença lá no Telegram, te espero lá. OSS!

Bruno Medeiros
Bruno Medeiros é Carioca, Nômade Digital, Ancap, Especialista em Marketing e viciado em quebrar padrões. #VemComigo

Mais Posts

Hey,

Deixe seu comentário