Guia Completo Para Você Se Tornar Um Nômade Digital

Sejam todos bem vindos e bem vindas é com muito prazer que eu escrevo este artigo, este artigo não é só mais um dentre os mais de 250 que eu já escrevi aqui para o blog, hoje eu vou te dar o passo a passo completo para você se tornar um nômade digital, viajar o mundo e colecionar histórias.

Primeiramente, deixa eu me apresentar, meu nome é Bruno Medeiros, tenho 29 anos, sou carioca, nascido e criado em Nilópolis, uma cidade do subúrbio.

Não nasci rico, pelo contrário, e já somo mais de 17 países visitados desde que comecei a viajar, menos de 1 ano.

O que vamos ver nesse guia sobre nômade digital?

  • O que é nomadismo digital?
  • Como dar os primeiros passos?
  • Como trabalhar sendo nômade digital?
  • Vantagens em ser nômade digital?
  • Desvantagens em ser nômade digital?
  • Considerações finais?

O que é nomadismo digital?

Nesse processo de viajar eu conheci centenas de pessoas, muitas delas, viajantes, a maioria nômades e a definição que eu cheguei de nômade digital é: Pessoas livres para morarem onde quiser.

Encontrei pessoas que ficam 5-7 dias em um país e já arrumam outro destino, encontrei pessoas que ficam 1-2 meses, enfim, acredito que não exista uma definição exata para o termo nômade digital.

Eu defino dessa forma: Pessoas livres para morarem onde quiser.

Como dar os primeiros passos para se tornar um nômade digital?

Essa é a pergunta de 1 milhão de dólares, eu vou contar como aconteceu comigo.

Desde 2015 eu vivo 100% de um trabalho que desenvolvo na internet, eu sou consultor de marketing digital e, apesar de morar no Brasil, conseguia atender meus clientes 100% de casa.

O que me levou a desenvolver foi esse trabalho foi uma mudança inesperada da minha cidade, Nilópolis, para Saquarema (Região dos lagos do Rio de Janeiro, interior) e lá haviam muito poucas oportunidades para trabalhar, uma cidade com 75mil habitantes.

Eu comecei a desenvolver o trabalho que eu sabia fazer pela internet (Criação de sites e comunicação em geral) pois era a única forma de conseguir sobreviver na cidade, eu não conhecia ninguém lá.

Desenvolvendo esse trabalho eu conseguia ganhar dinheiro suficiente para poder sobreviver, pagar as contas e ter uma vida normal, nunca foi minha meta viajar.

O tempo foi passando e eu continuei evoluindo os trabalhos, criei esse blog para falar sobre SEO (que é minha especialidade dentro do mercado digital) Criei um canal no YouTube e comecei a ficar melhor conectado com pessoas importantes dentro do mercado.

Minha carteira de clientes aumentou e eu consegui tirar uma grana boa 100% pela internet, voltei para o Rio e lá eu morava muito bem, pagava caro no aluguel, morava de frente para a praia num bairro legal.

Fiquei morando por aí durante 1 ano, trabalhando 100% pela internet, até que minha esposa e eu decidimos nos mudar para outro bairro, mais caro e gastaríamos 3x mais do que gastávamos para morar nesse lugar.

Conversamos e decidimos fazer uma viagem pelo mundo antes de nos estabelecermos lá, pelo custo que teríamos analisamos e vimos que poderíamos morar em qualquer lugar do mundo, como trabalhamos pela internet seria só comprar as passagens, alugar uma residência em qualquer lugar do mundo e vazar.

Começamos a viajar pelo Brasil, fomos para minas (minha esposa é de lá), Brasília e moramos um tempo no nordeste e de lá pegamos o Voo para o primeiro destino internacional: Barcelona.

Bom, essa foi a minha história, agora como você pode replicar isso?

A primeira coisa que você tem que ter para se tornar um nômade digital, antes do dinheiro é uma mente muito forte para lidar com determinadas situações.

Enfrentamos vários perrengues mas o mais pesado, sem sombra de dúvidas, foi o de Paris. Mudamos para Paris no segundo mês de viagem e foi uma experiência horrível, a adaptação com a comida, a falta de falar o idioma (Eu falo Inglês e Espanhol) não conseguir me comunicar com as pessoas em Francês foi um experiência horrível, fiquei estressado e decidimos voltar para o Brasil, chegamos até a olhar passagem e hospedagem de volta.

Essa é a vista da varanda do AP em Paris, essa é a basílica de Sacre-couer

Mas decidimos dar uma nova chance à vida de nômade, o que eu tirei de lição disso tudo é: Resiliência.

Você vai ter que aprender muito sobre inteligência emocional, até você se adaptar a esse estilo de vida vai passar muitos perrengues, principalmente em países que não dominar o idioma.

Hoje nós já estamos adaptados e não sentimos mais esse choque cultural, por mais que os países sejam diferentes não são tão diferentes quanto Brasil-Europa, acredite, a mudança é muito grande.

A segunda grande coisa que você vai ter que desenvolver para iniciar a jornada de nômade digital é o desapego.

Eu não li absolutamente nada sobre nomadismo digital antes de iniciar a viagem, como eu disse, “do nada” decidimos embarcar nessa e foi.

Mas o desapego é uma coisa que você deve treinar muito, desapego de tudo, coisas, sentimentos e principalmente pessoas.

Você vai conhecer pessoas do mundo todo e isso é muito legal, mas tudo na sua vida se torna passageiro e você sabe que, provavelmente, nunca mais vai voltar àquele lugar.

Grande amigo,Egípcio, que fiz em Kiev, na Ucrânia.

Então esse é o primeiro passo para se tornar nômade digital, aceitar que tudo é passageiro e você deve literalmente viver o momento.

Como trabalhar sendo nômade digital?

Sempre que conheço algum viajante a primeira pergunta é: Você veio para que para que? Trabalhar? Ou holiday? Aí tenho que explicar toda a história.

Bom, como eu disse lá no começo, eu trabalho pela internet e posso fazer isso de qualquer lugar do mundo.

QUALQUER pessoa pode ganhar dinheiro na internet para bancar o estilo de vida nômade, quando eu falo qualquer pessoa é qualquer pessoa, com credenciais ou não.

Existem centenas de formas de empreender na internet, muitas delas não exigem nenhum investimento inicial.

Há quem defenda em conseguir um emprego remoto, eu acredito que não seja a melhor opção pelo seguinte fato.

Um emprego remoto você vai ter que trabalhar normalmente, de 9 às 6 e isso te aprisiona do mesmo jeito, o lance de ser nômade, na minha visão, é ser livre para poder viajar, conhecer e curtir a cidade, não vejo sentido em ser nômade, ir para um país se enfurnar em casa e trabalhar de segunda a sexta de 9 às 6, para fazer isso é melhor fazer no Brasil.

Como gerar renda sendo nômade digital

Vamos lá, eu curto bastante esse assunto, sou apaixonado por criar negócios na internet e me desculpe se eu extrapolar nessa parte e escrever de mais.

Antes de eu começar a viajar eu já era especialista em negócios na internet e durante a viagem eu vi centenas de oportunidades que podem ser exploradas para viajantes e são algumas dessas que eu vou te contar agora.

Eu vou partir do princípio que você não tem nada, nenhum conhecimento técnico, nenhuma expertise, esse é um guia para quem realmente quer iniciar a carreira de nômade do zero.

O maior ativo para ganhar dinheiro como nômade digital

O maior ativo na internet hoje se chama: AUDIÊNCIA! Guarde isso na sua cabeça, se você tem audiência você tem dinheiro e é relativamente fácil construir audiência sendo nômade digital, sabe por que?

Não sei se você sabe mas fazer uma viagem internacional é o maior sonho do brasileiro, ficando na frente até da casa própria, e o terceiro maior sonho é fazer uma viagem nacional, ou seja, brasileiro ama viajar.

É só você fazer uma pesquisa por conta própria que você vai constatar isso, a maioria dos brasileiros reclama do país e quer sair fora.

Quando eu sai do país o que eu mais ouvi, e ouço até hoje, foi: meu sonho!

Naturalmente por sermos nômades temos uma máquina de dinheiro na mão, pena que a maioria não sabe disso e acaba não investindo no sonho de ser nômade por falta de dinheiro, o caminho é inverso, você não tem que ter grana para virar nômade, você tem que virar nômade para ter grana.

A vida de nômade pode ser muito interessante para muitas pessoas, como nômades podemos fazer muitas coisas que geram muito engajamento como: Fotografia de lugares exóticos, conhecer a história de diversos lugares, culinária ao redor do mundo, surfe em picos pouco conhecidos, degustação de vinhos pela Europa, aprender vários idiomas pelo mundo, ir a festas, musicas locais e mais uma infinidade de coisas que me faria ficar aqui até semana que vem escrevendo.

Você acredita que muitas pessoas pagariam para poder ter acesso a tudo isso?

Vou dar um exemplo básico aqui: Imagine que você curta muito culinária, comece a viajar, na sua viagem você começa a produzir conteúdo sobre culinária (vamos falar sobre isso um pouquinho mais a frente) e você cria um guia, como este, que inclusive poderia ser cobrado, ensinando as melhores receitas da Índia, que por sinal tem uma excelente culinária, você acha que as pessoas não pagariam para ter acesso a um guia completo sobre culinária indiana?

Agora imagine se você vendesse esse guia por R$ 60,00 (Valor bem baixo) e fizesse 60 vendas por mês(duas por dia)? Teria um faturamento total de R$ 3.600,00 vendendo apenas um guia sobre culinária indiana, agora imagine você tem 5 guias de culinária de locais diferentes?

Teria 300 vendas por mês e R$ 18.000,00 de faturamento, que é mais do que suficiente para você viajar para qualquer lugar do mundo e o principal fazendo o que você gosta.

Ahhh Bruno, mas não existe essa quantidade de pessoas que pagaria para ter acesso a meus guias de culinária, será?

Deixa eu te mostrar essa ferramenta, que mapeia a quantidade de buscas sobre determinados termos no Google, apenas no Google temos:

São 1.000 pessoas buscando por culinária indiana todos os meses no Google, vender para 10% dessas pessoas te traria 100 vendas mensais e um faturamento de R$ 6.000,00 considerando que um guia custaria R$ 60,00 e ignorando as outras mídias como: Facebook, Instagram e YouTube (que certamente tem mais pessoas que o Google).

Essa é apenas uma das infinitas ideias para ganhar dinheiro na internet como nômade digital, o resumo disso é: O que você gosta de fazer? Você poderia fazer isso viajando e ainda ganhar grana, muita.

Essa é a primeira parte do processo, que é a descoberta do nicho, você precisa definir um nicho para partir para a segunda etapa que é a produção do conteúdo.

Produção de conteúdo para nômades digitais

Você tem que produzir conteúdo por diversos motivos, vamos à lista:

  • Mais tráfego;
  • Mais autoridade;
  • Mais engajamento;

Quanto mais conteúdo você fizer, mais você será visto e quanto mais visto você é mais chances você tem de vender.

Aqui no blog eu já produzi mais de 250 artigos desde a fundação e isso me gerou milhares de visitantes, esses visitantes compram meus produtos e serviços, eu já vendi consultorias, mentorias, cursos e e-books através desse blog e foi “fácil”.

Um belo dia eu acordei e decidi começar a escrever, as pessoas começaram a visitar e eu comecei a vender produtos para elas, com esse blog eu já faturei mais de R$ 1.000.000,00.

PS.:Você não viu errado! Sim, mais de R$ 1.000.000,00.

Só no ano passado eu faturei mais de R$ 500.000,00 e esse ano eu já dobrei esse valor.

A estratégia que estou te propondo é a mesma que eu apliquei, porém em mercados diferentes, eu produzi conteúdo sobre SEO uma técnica de posicionamento de sites no Google.

O conteúdo pode ser produzido em diversas mídias, não necessariamente no Google, cada nicho tem uma mídia mais favorável.

No meu caso, utilizei o Google pelo fato, primeiramente, de eu ser especialista, entender como funciona o algoritmo, conseguir colocar meus artigos no topo das buscas e também por conta do tipo de conteúdo, um conteúdo muito técnico não faria sentido eu usar o Instagram, por exemplo.

Uma regra básica: tudo que for visual vai para o Instagram/YouTube e o que não for visual vai para o Google.

Lembrando que nada impede de você mesclar, eu mesmo tenho um canal no Youtube com 3,5k Inscritos, tenho um perfil no Instagram com mais de 10mil seguidores e tenho o blog.

Alimento as 3 mídias mas o top 1 é o blog, toda a prioridade vai para o blog, segundo Instagram e por último o YouTube.

Eu tenho uma ideia, escrevo um artigo, gero tráfego e envio para outras mídias para concluir a segunda etapa da lista que é a autoridade.

No Instagram eu consigo reforçar a minha autoridade através das postagens e dos stories, eu to sempre viajando, sempre indo a bons lugares e é isso que eu vendo, eu vendo sucesso, vendo resultados financeiros, eu vivo o que eu prego.

Inclusive, se você não me segue, segue lá @brunomedeirosjj

De forma resumida a fórmula é a seguinte: Quanto mais conteúdo, mais pessoas e mais autoridade você vai ter, e quanto mais pessoas e mais autoridade, advinha? Mais vendas.

Agora o terceiro e último item do processo que é o engajamento, engajamento é o seu relacionamento com o público, quanto mais próximo dele você estiver, mais propício para comprar eles estarão.

E como se faz isso?

Gerando conexões, quanto mais conexões você tiver com o seu público, mais identificação eles terão e mais interagirão.

Ps.: Interagir é: comentar, curtir e compartilhar o seu conteúdo.

Para conseguir gerar mais conexões você tem que fazer um estudo avançado da sua persona, persona é personificação do seu cliente ideal.

Na pesquisa de persona você vai responder perguntas como:

O que o meu cliente ideal gosta de ouvir?
O que o meu cliente ideal gosta de ver?
O que o meu cliente ideal gosta de fazer?
O que o meu cliente ideal gosta de comer?

O seu conteúdo deve gerar conexão com o máximo de itens possível com o seu cliente ideal.

Exemplos de conexões:

Time de futebol;
Posição política;
Séries em comum;
Gostos musicais;
Esportes em comum;

Tudo que gerar conexão é um ponto positivo para você, veja a reação do meu público quando eu falei sobre um assunto específico sobre política.

Eu tive dezenas de feedbacks depois que me manifestei politicamente como libertário e isso é muito importante, não falar necessariamente sobre política mas criar pontos de conexões com o seu público.

Antigamente eu falava que era fácil ser nômade digital, por eu trabalhar na internet eu consigo fazer dinheiro on-line com uma certa facilidade, mas depois de um tempo eu comecei a perceber que esse conhecimento é um conhecimento bem específico e a maioria não faz ideia de que é possível ganhar dinheiro na internet, por isso eu voltei a escrever para o blog com uma linguagem um pouco diferente mais voltada para o público que está entrando, ou quer entrar, no mercado digital.

Realmente fazer dinheiro na internet é fácil o difícil é ter todas as peças do quebra-cabeça para iniciar a jornada, mas fique tranquilo, eu vou te ajudar no que estiver ao meu alcance, tamo junto?

Agora vem a seguinte pergunta: Será que vale a pena todo esse esforço para ser nômade digital?

Vantagens em ser nômade digital

A meu ver, existem diversas vantagens vou listar as que julgo mais importantes.

Eu sou muito agradecido por ter a mulher que eu tenho, dela compartilhar dos mesmos ideais que eu porque eu sou muito volátil, da forma que curto muito uma coisa hoje amanhã posso simplesmente largar de mão e isso acontece em todas as esferas da minha vida, inclusive com local de moradia.

Eu morava bem no Rio de Janeiro, eu surfo e morar de frente para praia para mim é um verdadeiro sonho, mas eu enjoo muito facilmente das coisas e poder estar sempre mudando é uma grande vantagem para mim.

Então, para quem curte, é muito bom ter a oportunidade de estar sempre mudando, você está sempre comendo comidas diferentes, frequentando lugares diferentes, conhecendo pessoas diferentes e isso não tem preço, me sinto 100% a vontade estando nessa situação.

Multiplicar o dinheiro como nômade digital

Outra grandiosa vantagem é multiplicar o seu dinheiro, quando você viaja para países que o cambio é favorável você consegue ter uma qualidade de vida absurda gastando bem pouco.

No geral, os países do leste europeu são ótimos para morar e são extremamente baratos, quando eu falo extremamente eu quero dizer EXTREMAMENTE. Mais uma vez EXTREMAMENTE.

Na Ucrânia, se você não tiver problema com frio, você consegue viver muito bem gastando menos de R$ 3.000,00 por mês, coisa que fica inviável na maioria das grandes cidades do Brasil.

Diversos países você consegue fazer isso, viver bem gastando menos por causa do câmbio, só na zona do euro mesmo que o negócio fica esquisito. Mas são 196 países no mundo, quem se importa com meia duzia que faz parte da zona do Euro?

Aprender idiomas novos e principalmente treinar o inglês

Quando eu comecei a viajar eu já falava inglês e espanhol, mas o nível do meu inglês melhorou 200% isso porque passei uma boa temporada na França e em Barcelona que por mais que seja espanhol o idioma principal por ser uma cidade muito conectada você encontra pessoas do mundo todo e o inglês é inevitável.

PS.:Eu não falo e nem pretendo aprender Francês.

E para mim, que trabalho com negócios, ter um excelente nível de inglês é uma vantagem competitiva enorme, as vezes eu fico 6-8 horas só conversando inglês e isso fez com que eu conseguisse compreender muito melhor palestras e vídeos em inglês, eu consigo agora assistir vídeos com a velocidade de 2x perfeitamente.

Desvantagens em ser nômade digital

Acredito que a palavra não seria nem desvantagens e sim escolhas, iniciar a jornada de nômade digital é aceitar esse estilo de vida mais “solitário”, sem raízes.

Você perde a conexão com os amigos do Brasil e criar novas conexões, fortes, é uma tarefa um pouco difícil, visto que a vida de nômade é extremamente volátil e dinâmica.

Ficar longe da família e amigos para muitos é um grande problema, a única coisa que me incomoda na vida de nômade é o fato de eu ter uma filha no Brasil, eu falo com ela todo dia e esse é o motivo que voltarei para o Brasil por 1 mês no próximo ano, se ela não existisse certamente não voltaria no Brasil nem tão cedo.

PS.: Eu amo o Brasil e é o lugar que eu quero viveria se um dia eu parasse de viajar.

Dificuldade de viver como nômade

Outro ponto que vale destacar é a dificuldade de viver como estrangeiro em um país, já passamos por algumas situações difíceis, na França fomos barrados de entrar em uma festa e o segurança falou com todas as palavras: “Eu não quero que você entre aqui, você não está no seu país, aqui eu faço o que eu quero eu conheço todo mundo aqui, minha família toda é daqui quando eu for para o seu país eu fico quieto mas aqui quem manda sou eu.”

Viver como estrangeiro é diferente, depois eu posso até fazer um artigo falando da experiência de visitar um país como turista, viajante e residente.

Nômade paga mais caro

Por mais que existam hacks, dicas e técnicas a verdade é que como nômade você SEMPRE vai pagar mais caro, a começar pela hospedagem que em 99% das vezes você vai ter que utilizar o AirBnb, os preços são super inflacionados comparados ao real valor do imóvel.

Para você ter ideia na França fiz um amigo que é dono de uma imobiliária, ele visitou a nossa casa e tal. Quando eu falei o preço que estávamos pagando ele quase caiu da cadeira e me mostrou o valor real, que era quase metade do preço que estávamos pagando.

A segunda coisa que vai te fazer pagar mais caro é o fato de você não conhecer a cidade, quando você é local você conhece os melhores restaurantes, melhores bares, melhores supermercados. Como nômade dificilmente você vai acertar de primeira e nômades não tem muitas oportunidades de reparar erros.

Se você toma uma decisão e se arrepende, já era, vai ter que conviver com a decisão errada para sempre, dificilmente você vai ter tempo para reparar.

Por isso eu iniciei o artigo falando sobre o desapego em todos os níveis, tem que ser muito desapegado para conseguir ser nômade, mas se você não tem essa característica fica de boa, isso pode ser desenvolvido.

Considerações finais

Para mim, definitivamente, ser nômade tem um saldo positivíssimo. Eu amo ser nômade, o estilo de vida nômade caiu como uma luva para mim, como eu disse eu sou muito dinâmico e enjoo muito rápido das coisas.

Ser nômade é estar sempre se renovando, aprendendo coisas novas e fazendo coisas completamente diferentes. Imagine você sair da Ucrânia e ir para Tailândia? Como é o nosso caso? Culturas completamente diferentes, climas diferentes, comidas diferentes, pessoas diferentes é surreal para mim essa experiência.

E aí? O que você achou deste artigo? Deixe seu comentário abaixo e não esqueça de me seguir no Instagram para receber dicas de como ganhar dinheiro na internet e nomadismo digital.

Bruno Medeiros
Bruno Medeiros é Carioca, Nômade Digital, Ancap, Especialista em Marketing e viciado em quebrar padrões. #VemComigo

Mais Posts

Hey,

Deixe seu comentário