Planejamento de aula: Como criar o seu curso on-line

Se você já tentou fazer um planejamento de aula e encontrou problemas na hora da elaboração do seu conteúdo este artigo é para você.

Nesta leitura você vai aprender a criar um planejamento de aula perfeito para montar o seu curso on-line.

Antes de começar esse artigo deixa eu te contar algumas coisas sobre mim e por que eu vou te falar o que vou te falar, ok?

Eu comecei a dar aulas presenciais em 2008, em 10 anos, passei por praticamente todas as escolas de cursos profissionalizantes do país, sendo por 2 anos franqueado de uma grande marca, a Microlins.

Durante esses 10 anos envolvido na área de educação vi e aprendi muita coisa relacionada a processos cognitivos, e é exatamente sobre isso que vamos falar neste artigo. Eu vou te ajudar a organizar, planejar e montar um plano de aula eficiente para o seu curso on-line.

O Objetivo de montar um planejamento de aula

O planejamento de aula ou plano de aula tem como principal objetivo fazer a distribuição do conteúdo programático do assunto desejado. Você precisa descrever detalhadamente o por que que cada aula está onde está.

Você pode utilizar um mapa mental para te ajudar no processo de organização do conteúdo programático, fazendo isso você otimiza o seu tempo e potencializa o seu conteúdo.

Eu sempre dividi os meus conteúdos da seguinte forma: coloco módulos e dentro dos módulos destrincho as aulas separadas, como se fossem sub-tópicos. Assim:

Módulo 01 – Otimização On-Page

Aula 01 – Introdução;

Aula 02 – Otimização de títulos;

Aula 03 – Otimização de Imagens;

E assim continuo até abordar todos os assuntos dentro desse módulo.

Eu sempre coloco no início dos módulos o motivo de fazer o que vamos fazer e o que vamos ver daquele determinado assunto, vou dar alguns exemplos práticos da época que eu dava aulas presenciais.

Curso de web designer, que foi uma matéria que trabalhei por muito tempo.

Iniciava o curso da seguinte forma:

Aula 01 – Falo o que é web designer, o que irão aprender (parte prática)e como poderão utilizar os conhecimentos.

Essa é uma aula de introdução e até hoje eu faço isso, explico detalhadamente os fundamentos de cada assunto.

Aula 02 – Começa o processo de explicar ferramenta por ferramenta, eu sempre gosto de “isolar” os assuntos para não haver confusões. No caso do curso de web designer, cada aula trato de um assunto específico, que tenha o mínimo de ligação possível.

No meu curso de SEO, trato isoladamente o assunto On-Page em um módulo específico e tento o máximo possível não mencionar outros assuntos para não confundir o aluno.

Cada aluno tem uma forma diferente de aprender, isso acontece porque o nosso cérebro tem canais receptivos diferentes.

Canais receptivos

planejamento de aula com pnl

Os canais receptivos é que definem o nosso processo cognitivo, temos 3 canais receptivos diferentes e cada pessoa têm facilidade e dificuldade de assimilar determinado conteúdo baseado no canal receptivo utilizado na comunicação. Sendo assim é impossível você criar um conteúdo que seja de fácil entendimento para todos o que faremos agora é: Utilizar o máximo de canais receptivos na comunicação para que o seu planejamento de aula atinja um público diversificado.

O fundamento básico da comunicação é: Se o receptor não entende a mensagem a culpa é do emissor.

Partindo desse princípio vamos ver os canais receptivos para você poder adaptar a sua mensagem/aula utilizando o máximo de canais receptivos possíveis.

Visual

O canal receptivo visual, evidentemente, é ligado a sinais visuais dentro da comunicação. Pessoas que tem o visual como canal receptivo predominante assimilam mais facilmente exemplos visuais como: Aulas mostrando algo (não só falando), check-lists impressos, download de mapas mentais, download de documentos explicativos, transcrições, etc. Tudo que ele consiga ver vai ajudar no entendimento, já que ele é muito ligado ao visual.

Auditivo

Diferente do visual, pessoas que têm o canal auditivo como predominante são altamente ligadas ao que escutam, nesse caso, ficaria mais fácil o entendimento de conteúdos em áudio como: Mp3, narrações, comentários em áudio, etc…

Cinestésico

Pessoas que têm como canal receptivo predominante o cinestésico são muito ligadas ao “sentimental”, coisas que mexem com sensações e tato.

São muito movidas à linguagem corporal, gesticulam bastante, conseguem entender melhor esse tipo de comunicação.

Identificando canais receptivos antes de montar um planejamento de aula

planejamento de aula como fazer

Você não vai conseguir fugir muito do seu canal receptivo na hora de ensinar, falar e se comunicar com outras pessoas. Por isso é muito importante identificar qual é o seu canal de comunicação antes de iniciar o processo de construção do seu planejamento.

Existem alguns testes na internet que podem te dar uma base, mas o correto é que procure um profissional para realizar uma consulta e dar o veredicto. Eu, tenho como canal receptivo predominante o Cinestésico, depois o visual e por último o auditivo.

Tenho facilidade em aprender “olhando”, check-lists, documentos complementares não me atraem e eu não julgo necessário no processo de aprendizagem. Veja bem, isso EU, não é uma regra.

Há pessoas que já não conseguem aprender dessa forma, precisam escrever, precisam fazer, precisam anotar. Na minha vida inteira na escola eu nunca escrevi mais que 30 folhas em um ano letivo inteiro.

Na própria comunicação você consegue identificar alguns padrões para saber qual é o canal receptivo predominante de uma pessoa, baseado nas respostas para determinadas perguntas o usuário “entrega” qual é o seu canal receptivo.

Como eu disse lá em cima, cada pessoa tem um canal receptivo diferente, não é possível prever como as pessoas aprendem, porém é possível identificar padrões dentro de um grupo de pessoas em comum.

Ex.: Existem mercados que grande parte das pessoas têm como canal receptivo predominante o auditivo, logo o seu planejamento de aula deve ser voltado para esse tipo de comunicação.

Isso acontece porque normalmente as pessoas que têm o canal receptivo auditivo aguçado tem a tendência de gostar de coisas que o canal auditivo seja favorecido, dificilmente um visual vai ter uma habilidade ou interesse diferenciado por música, isso faz com que o cérebro dele se esforce muito para realizar uma tarefa que um auditivo faz facilmente.

Então, não existe gente burra, existem pessoas que estão utilizando canais receptivos errados para determinadas mensagens e se você estiver fazendo isso todo o seu conteúdo não vai chegar no receptor da forma que deveria, fazendo a sua comunicação perder a efetividade.

VAC Attack

O VAC Attack é uma técnica para melhorar a comunicação, consiste em utilizar os 3 canais receptivos na construção da comunicação melhorando assim o entendimento da mensagem.

VAC significa Visual, Auditivo e Cinestésico vou te dar um exemplo da mesma frase formada por cada um dos canais e depois vou utilizar um VAC.

Suponhamos que tenha sido feita a seguinte pergunta a um jogador de futebol: Como é jogar no maracanã? Veja as seguintes possíveis respostas.

Visual – Jogar no maracanã é maravilhoso, você consegue ver a torcida inteira torcendo.

Auditivo – Jogar no maracanã é maravilhoso, ouvir a torcida não tem preço.

Cinestésico – Jogar no maracanã é maravilhoso, sentir o calor da torcida é muito bom.

VAC – Jogar no maracanã é incrível, ver a torcida gritando seu nome com emoção, é um sentimento imensurável.

Conseguiu entender a diferença na comunicação? Se faça essa pergunta e imagine a resposta que você daria.

Sabendo disso, vamos adiante no nosso processo de elaboração de um planejamento de aula.

Como as aulas devem ser?

Baseado em tudo isso que te falei, a resposta é: DEPENDE!

Não existe nenhum estudo, ao menos que eu saiba, que revele quais são os canais receptivos predominantes em uma média geral.

Todo esse conhecimento que to passando para você foi adquirido, por mim, na prática e com estudos em PNL (Programação neuro-linguística) com base no conteúdo do Jordan Belfort (O Lobo de Wall Street) e um PhD em PNL, autor do Best Seller: Advantage Unfair, Duane Lakin. Esses são as minhas maiores referências em estudos de comunicação e persuasão. A PNL é uma excelente ferramenta para melhorar a comunicação entre emissor e receptor, utilizar essas técnicas para melhorar a efetividade do seu curso é uma excelente escolha.

Uma forma de você conseguir ter o máximo de efetividade no seu planejamento de aula é utilizar de um recurso que eu uso nos meus treinamentos, utilizar aulas curtas para deixar mais confortável pessoas que não estão utilizando o seu canal receptivo predominante.

Me colocando como exemplo, já disse acima que o meu canal receptivo predominante é o cinestésico/visual, dificilmente eu consigo me manter focado em um conteúdo de 40min em aúdio, não faz sentido para mim, não consigo entender com 100% de efetividade. Eu fazendo isso, estou explorando uma parte “fraca” do meu cérebro e isso, evidentemente, prejudica o meu aprendizado.

Quando eu decidi criar o meu curso on-line de SEO, o Black Belt Marketing, esse foi um dos fatores que muito me preocupou: Em que formato eu entregaria esse conteúdo? Em aulas presenciais fica mais fácil você perceber o aluno que está “boiando” na sala e dar uma atenção diferenciada para ele, falar de forma diferente e fazer com que ele entenda o conteúdo.

Na internet essa possibilidade, ainda, não existe, não existem plataformas que te permitem ter esse controle de acompanhamento, dificultando assim a possibilidade de identificar possíveis ruídos na comunicação.

Para solucionar, ou pelo menos diminuir, esse problema eu tomei a decisão de criar aulas curtas justamente para não “cansar” as pessoas que não se conectam inicialmente com o canal de comunicação predominante na minha linguagem.

As aulas curtas permitem o aluno a ver, aplicar e pular para o próximo tópico, eu isolo o máximo que posso cada assunto para que não haja confusão entre aulas.

Qual é o tamanho ideal para um curso on-line?

Está é uma pergunta que tem uma resposta muito subjetiva, o parâmetro que temos para determinar o tamanho de um conteúdo educacional está ligado diretamente ao MEC (ministério da educação) o problema é que o MEC mede a qualidade do conteúdo baseado na quantidade de horas que o aluno estudou. As faculdades, cursos técnicos, Ano letivo são calculados dessa forma.

Na internet é um pouco diferente, isso porque na internet, também off-line, existem diversos cursos e treinamentos que não são regulamentos pelo MEC, os cursos livres. Muitas empresas e professores na hora de montar o planejamento de aula se baseiam na quantidade de horas para montar a sua grade de conteúdo. Isso é um ERRO!

O seu conteúdo deve ter o tamanho suficiente para resolver o problema do seu aluno, a moeda mais valiosa da nossa época é o tempo e é justamente para isso que fazemos um planejamento de aula, Otimizar o tempo.

Foque em produzir um conteúdo que resolva o problema do seu aluno, não se importe com as horas ou a quantidade de aulas, o foco deve ser em RESOLVER O PROBLEMA DO ALUNO, keep it in mind!

Uma pesquisa é uma boa forma de identificar itens importantes para serem acrescentados no seu planejamento de aula.

Pesquisas

Além de você conseguir ter uma base para saber qual é o canal receptivo predominante do seu púbico-alvo, uma pesquisa vai te ajudar a descobrir que tipo de conteúdo é comumente mais aceito pelo seu público.

Naturalmente as pessoas com os mesmos canais receptivos curtem coisas que exploram o seu canal predominante, se uma pessoa tem facilidades em aprender coisas visualmente, dificilmente ela vai se interessar e se destacar com música por exemplo.

Com uma pesquisa, além de identificar esses pontos você consegue colher informações necessárias para fazer também uma execução de uma estratégia de marketing.

Imagine a seguinte situação:

Você decide vender um curso on-line e através de pesquisas de marketing você descobre que o seu público-alvo gasta 2 horas de ida e 2 horas de volta para o trabalho. Ele trabalha 8 horas por dia e tem 2 filhos.

Vamos às contas…

8 horas de trabalho + 1 hora de almoço + 4 horas de trânsito = 13 horas.

13 horas + 8 horas de sono = 21 horas.

Restam 3 horas do dia dele para ele: Fazer as necessidades básicas pessoais (comer, tomar banho, etc…), ficar com a família, ter algum momento de lazer e…. estudar o seu curso!

Essa é uma realidade e muito desse gargalo pode ser evitado com um efetivo planejamento de aula, utilizando um conteúdo que ele possa consumir no trajeto de casa para o trabalho por exemplo.

O objetivo do planejamento é exatamente esse: ganhar tempo! Tanto o seu quanto o do seu aluno.

Vale a pena fazer um planejamento de aula?

Como eu disse algumas vezes acima, o tempo é a moeda do século 21. O que você puder fazer para poupar tempo é de grande importância dentro de qualquer negócio.

Nesse caso, o planejamento de aula vai te ajudar muito a não só poupar tempo como aumentar a efetividade do seu treinamento. Eliminando possíveis ruídos na sua comunicação com o aluno.

Se você quiser lançar um treinamento on-line, eu te indico uma leitura, aqui do blog, que fala sobre uma estratégia de marketing bem eficiente para o lançamento de novos produtos no mercado digital.

O nome da estratégia é : Lançamento semente e consiste basicamente em construir e lançar um produto do zero.

Leia o artigo completo sobre o lançamento semente

 

 

 

 

 

By | 2018-04-16T14:13:24-03:00 abril 16th, 2018|Marketing digital|

About the Author:

Digital Marketer, profissional da área de comunicação e tecnologia há 10 anos, ajuda empresas e empreendedores a aumentarem os seus resultados utilizando o potencial da internet.

Leave A Comment